quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Kiva

Traçando uma transversal entre duas grandes invenções do final do século passado: micro financiamento e a rede mundial (world wide web).



A WWW você obviamente já conhece. Se me lê agora é porque já está dentro dela, viciado. Micro financiamento, para quem não o conhece é o conceito de trazer pequenos empréstimos a pessoas que normalmente não têm acesso ao sistema financeiro, com o intuito de dar um empurrãozinho em suas vidas e dessa forma combater a miséria e desenvolver economia em  regiões/localidades sem uma. Normalmente isso se faz através de financeiras quase que beneficentes, que cobram juros apenas para subsistir e que, como garantia de que o dinheiro retornará, também ajudam a comunidade de beneficiarios com formações e acessoramento, acompanhando de perto a cada projeto.

O conceito de micro financiamento surgiu de forma completamente independente do da internet porém, coincidentemente, ambos nasceram conceitualmente no início dos anos 70, tecnicamente nos meados dos 80 e tiveram rápida aceleração  durante os 90, a ponto de, no início deste século, enquanto o número de usuários de internet chegava aos 500 milhões, o Grameen Bank já havia ultrapassado a mesma cifra em seus empréstimos aos mais necessitados de Bangladesh.

Ambos nasceram do mundo acadêmico e ao largo dos anos caíram na mão do povo. Enquanto a primeira rede de computadores nascia na Universidade da Califórnia, o Professor Muhammad Yunus, em Bangladesh, emprestava pela primeira vez dinheiro do próprio bolso na iniciativa que, mais tarde, viraria o Grameen Bank (Banco da vila, ou banco rural). Hoje a internet é do povo, de seus quase 2 bilhões de usuários, e o Grameen pertence em 94% a seus 2 milhões de beneficiários, sendo os restantes 6% pertencentes ao governo de Bangladesh. Mas claro, o Grameen já não é o único a se aventurar no combate à miséria com o bom capitalismo, é apenas o mais famoso por ter iniciado a coisa toda e por, em 2006, com seu já mencionado fundador, ter sido premiado com o premio Nobel da Paz. O micro financiamento, como a internet, já ganhou o mundo com milhares de pequenas e não tão pequenas financeiras espalhando a ideia e pequenos empréstimos por aí (e claro, como gananciosos fdps existem em todos os ramos, em casos excepcionais, explorando a miséria e extorquindo dinheiro até dos que menos tem).

Talvez a diferença mais importante entre os micro crédito e a WWW seja justamente seu universo de beneficiários. A internet ainda é coisa do mundo desenvolvido, onde já atinge mais de 70% de penetração (contra menos de 30% nos países em desenvolvimento), ou seja, grande parte dos 2 bilhões de usuários são pessoas como eu o você vivendo na parte "desenvolvida" do planeta, onde um sistema econômico nos permite ter um trabalho razoável e comprar alimentos, saúde e conforto com o que tiramos dele. Micro financiamento, obviamente, é coisa para o mundo sub-desenvolvido, onde se encontram ainda 4 bilhões de homens, mulheres e crianças que não tem as opções que temos os que frequentam este (e outros) sites da www e vivem em condições miseráveis.

O as coincidências acabam aí, e o que eu quero "propagandear" aqui é justamente o ponto onde estas duas linhas se encontram. A grande diferença entre estes dois conceitos, o público beneficiário, quando juntadas, podem  somar-se e criar algo muito interessante e poderoso.

KIVA.ORG


O Kiva é mais um site da www que usa o conceito de mídia social, porém com o objetivo de atacar a pobreza com micro financiamentos. Você, que pertence ao grupo de 2 bilhões de usuários mais abonados da internet, pode se inscrever no site, procurar um beneficiário, que pertence ao grupo dos 4 bilhões de pessoas que vivem no outro mundo real, que quase nunca vemos,  e ZASSS! com o PayPal ou cartão de crédito emprestar-lhe 25 dólares. Para encontrar teu beneficiário o Kiva de facilita filtros como sexo - o micro crédito, tradicionalmente, favorece empréstimos a mulheres que, dentro dos grupos excluídos do sistema financeiro, costumam ser ainda mais excluídas por questões culturais específicas, e também, normalmente, são mais confiáveis que os homens na hora de utilizar dinheiro de uma maneira inteligente para melhorar as condições de sua família - país, setor de negócio, e atributos diversos como educação, zonas de conflito, exclusão rural, exclusões étnicas,  ou regiões sub-financiadas. O beneficiário te pagará de volta aos poucos e você poderá depois retirar o dinheiro ou simplesmente re-empresta-lo a outro beneficiário.

Obviamente a coisa não é tão simples assim. Teu dinheiro não vai para o beneficiário diretamente. Você, na verdade, está simplismente re-financiando a financeira que já emprestou dinheiro para o beneficiário final, ajudando a manter um sistema que por não ter um fim lucrativo sofre imensa dificuldade para atrair capital. O dinheiro volta para você à medida que a financeira recebe seus pagamentos, o que quer dizer que além de você prover fundos ao financiamento, você está, na verdade, assumindo também o risco do empréstimo, o que garante tanto a disponibilidade de dinheiro para gente que realmente não pode dar garantias aos mesmos, e ajuda a manter os juros mais baixos por “comprar” os riscos da financeira. O trabalho do Kiva é basicamente captar capital (de 25 em 25 dólares) da comunidade WWW compartilhando a história e os projetos dos beneficiários e, principalmente, ajudar e avaliar as pequenas empresas de microcrédito com quem trabalha ao redor do mundo (217 neste momento) garantindo à comunidade WWW as chances de ver seu dinheiro de volta.

Os números falam por si só. Desde 2005 o Kiva já permitiu que quase 1 milhão de pessoas como eu ou você emprestassem 25 dólares ou mais, somando um total de 465 milhões de dólares emprestados em 72 países. A taxa de retorno dos empréstimos (quanto do dinheiro emprestado volta a quem empresta) é em média 99%, o que é excepcionalmente bom até se comparado  com financiamentos tradicionais.

Eu fiz meu primeiro empréstimo pelo Kiva faz um ano e recebi 100% dos 25 dólares de volta, re-emprestei o mesmo dinheiro a outra pessoa e agora tenho programado na minha conta do Paypall um novo empréstimo mensal automático de 25 dólares. Uma vez ao mês recebo um email me convidando a entrar no site do Kiva, surfo pelas histórias das pessoas que pedem os pequenos empréstimos - um agricultor que quer comprar um vaca e vender leite no Kenia, uma dona de boteco na Mongólia que quer aumentar seu estoque de armarinhos para aumentar seu faturamento, uma dona de casa que quer fazer uma nova instalação de água em sua casa para gastar menos em sua conta mensal por causa dos vazamento da instalação atual - e ZASS, um pouco de meu dinheiro circulando a cada mês pela mão de pessoas que precisam muito mais dele do que eu ou minha mulher e depois volta. A velha mágica do sistema econômico. Não gasto um centavo, mas ajudo a movimentar uma economia em alguma zona capenga do mundo. O videozinho abaixo explica a coisa bem rapidamente:



O conceito é lindo e nobre. O site é sério. Há muita informação sobre o Kiva na mídia para quem quiser verificar. Eu recomendo um livro que acabo de ler chamado “The International Bank of Bob” onde um jornalista Norte-Americano visita parceiros do Kiva e seus banaficiário em vários países do mundo contando um pouco de sua história.

Esse post é informação, propaganda e campanha. Convido a todos a darem uma olhada no site do Kiva e embarcar nessa ferramenta que o mundo moderno nos presenteia. 25 dólares (ou mais) é certamente muito menos do que quanto você joga fora por mês carregando as peças do teu carro por aí (pense que se teu carro pesa 800 kg e você 80, uns 90% da gasolina que você gasta é para levar o carro por aí, não a você mesmo). Se você, como eu, acredita que não tem dinheiro para fazer doações expressivas aos que precisam do dinheiro para impulsionar seu negócio e, como eu, entre as 10 ou 12 horas do dia que passa trabalhando duro pelo ganha pão e entre as 10 a 12 horas por dia trabalhando duro cuidando das crias, não tem tempo para fazer trabalho voluntário, venha para a comunidade Kiva. Do conforto do escritório, clicando no link abaixo você pode registrar-se no Kiva e ganhar 25 dólares para fazer sua primeira doação sem custos. Eu como quem deu a indicação ganho também 25 dólares mais para o mesmo (esse dinheiro, que vem das doações feitas ao Kiva, não de nossos empréstimos reais, obviamente não é resgatável, apenas re-emprestável quando completamente devolvido pelo beneficiário).




PS1- Kiva acaba de lançar o Zip-Kiva, onde você pode emprestar a partir de 5 dolares diretamente ao usuário final saltando completamente o agente de micro-crédito. Verifique no link https://zip.kiva.org/  Nessa ainda não entrei então não posso comentar muito. Disponível para empréstimos somente no Kenya e Estados Unidos (sim, também há muita pobreza lá).

PS2- Uma vez no Kiva você logo vai notar que apesar de poder emprestar dinheiro a gente em paises sulamericanos, não poderá encontrar por lá nenhum beneficiário Brasileiro. Merda não? Ok, pois escreva uma carta à senhora Rousseff e ao senhor Mantega perguntando porque temos políticas financeiras que dificultam tanto a entrada e saída de dinheiro do país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário