sábado, 25 de dezembro de 2010

Feliz Natal!



Essa é ótima! Finalmente consegui achar uma forma de celebrar o Natal sem aquele sentimento de "que raios estou fazendo"!


Além de ateu, também odeio essas datas comemorativas modernas que nos obrigam a presentear pessoas. Presente bom é dado a troco de nada, por pura inspiração, sem necessariamente envolver a divisão do magro décimo terceiro e corridas irritantes a shopping centers super-lotados. Em contra partida também não sou rabujento ou insensível a ponto de deixar de participar das celebrações ou deixar de desejar um feliz Natal aos que assim me desejam! Adoro confraternizações familiares, principalmente as que envolvem a parte da família adoradora de Baco, o deus do vinho, mas tenho que confessar, às vezes é difícil manter o sorriso frente as músicas natalinas irritantes, aos exageros consumistas, aos abraços falsos e desejos semi-automáticos de felicidades.

Bem, isso era até agora a pouco, pois acabo de descobrir uma forma um pouco mais verdadeira para eu celebrar o Natal. Já que Natal é, por definição, uma celebração de um nascimento, resolvi procurar alguém que, dentro de meu conjunto muito particular (e peculiar) de crenças, realmente merece minhas mais sinceras homenagens.

Muita gente não se toca mas para mais de 2/3 da população mundial, os não-cristãos, o Natal é uma data tão especial quanto qualquer outro dia do ano, quando cerca de 15 milhões de desconhecidos comemoram seu aniversário. Na verdade, pelas contas já feitas pelo "Population Reference Bureau", o mundo já viu nascer algo em torno de 106 bilhões de pessoas, ou seja, dá para chutar que uma a cada 365 destas almas deve ter nascido no dia 25 de Dezembro, isso dá uns 290 milhões de pessoas a serem lembradas nesta data.

Então, acabo de descobri que entre as milhões de pessoas que já nasceram no dia 25 de Dezembro, além do famoso menino Jesus, temos também o Sir Isaac Newton.

Bem, tecnicamente Isaac Newton nasceu no dia 4 de Janeiro de 1643, mas como em 1643 a Inglaterra ainda não usava o calendário Gregoriano, a data que consta nos registros é a de 25 de Dezembro de 1642. Notem que como também não existe uma certidão de nascimento para o menino Jesus, muito menos havia um calendário consolidado na época, guardo o direito de considerar o 25 de Dezembro do Sir Newton tão válido como o 25 de Dezembro do menino Jesus, se não até mais válido.

Em todo caso, minha descoberta vai me ser útil. Poderei, a partir de agora, comemorar o Natal de forma mais verdadeira em meu coração, sem necessariamente interferir no Natal alheio. A única diferença será que além das belas e reluzentes bolas coloridas penduradas em meu pinheirinho, um observador atento vai perceber ali também uma discreta maçã.

Feliz Natal!

Um comentário:

  1. Nota, não quero sugerir que Sir Isaac Newton foi em alguma aspecto um referencial de perfeição humana (da forma que muitos pensam a respeito de seu(s) deus(es)), apenas reconheço sua contribuição individual no desenvolvimento da humanidade. Caso algum leitor queira me recomendar outra personalidade nascida no 25 de Dezembro, por favor, o faça. Desejo sim enriquecer ainda mais os meus Natais futuros!

    ResponderExcluir